Sobre Belo Horizonte

  • Belo Horizonte, capital do estado de Minas Gerais, é famosa por estar cercada pela Serra do Curral. Os montes e morros adornam a cidade que hoje vive dias e noites badalados, com pessoas de todo o Brasil e do mundo. Considerada como uma das maiores cidade do país e com enorme desenvolvimento, o setor de serviços e o turismo de negócios estão entre suas principais atividades econômicas.

  • Clima e População

    A cidade possui hoje cerca de 2,3 milhões de habitantes, que se espalham entre seus 63 bairros. A região metropolitana de BH beira os 5 milhões de moradores, que fazem da capital mineira uma importante metrópole do sudeste brasileiro.

    O clima é do tipo tropical de altitude, uma vez que a cidade está 900 metros acima do nível do mar. Durante o verão, as temperaturas são altas e as chuvas ocorrem com mais freqüência. No inverno, ocorre o contrário, com temperaturas baixas e muita chuva.

    Ao longo do ano, a temperatura oscila entre 15 e 28º Celsius, com média anual de 21º C. No inverno, os termômetros podem registrar temperaturas abaixo de 0ºC, principalmente no mês de julho. O verão, por sua vez, é forte no mês de janeiro, com média de temperatura em torno de 35º Celsius.

  • Pontos Turísticos

    O complexo arquitetônico e paisagístico da Praça da Liberdade é um dos principais pontos turísticos de Belo Horizonte. O conjunto de construções da Praça exibe vários estilos arquitetônicos. Eles mostram a evolução da cidade, que vai do neoclássico ao pós-moderno. Até pouco tempo, o local também abrigava a sede do poder executivo do governo mineiro. Mas a mudança para a cidade administrativa criou outro ponto interessante para os turistas visitarem.

    A cidade administrativa Presidente Tancredo Neves foi projetada por Oscar Niemeyer, responsável por outros marcos na capital mineira. No local, uma das construções do mestre da arquitetura brasileira que mais chama atenção é o Palácio Tiradentes. Ele é um prédio suspenso por mais de mil cabos de aços, dotado de 26 de metros de largura e com 147 metros de espaço entre a estrutura e o solo. Ao todo, cinco edifícios foram projetados para sediar o governo de Minas.

    O complexo da Pampulha oferece a visão do estádio Mineirão, que é o segundo maior estádio coberto de futebol do mundo, com capacidade para 130 mil torcedores. Nesse local, também é possível visitar o Mineirinho, que é o ginásio poliesportivo, e a famosa Igreja da Pampulha, ou igreja de São Francisco de Assis.

    A igreja da Pampulha fica localizada no bairro Pampulha, que reúne importantes pontos turísticos da cidade. Além da igreja, no entorno da lagoa da Pampulha estão o Museu de Arte da Pampulha, a Casa do Baile, o Iate Tênis Clube e o Zoológico de BH. Essas atrações estão próximas entre si, o que facilita o deslocamento das pessoas que visitam o local.

    À arquitetura de Oscar Niemeyer, juntam-se a pintura de afrescos e azulejos de Cândido Portinari, as esculturas de Zamoiski e José Pedrosa, o painel em mosaico de Paulo Werneck e o paisagismo de Roberto Burle Marx. A Pampulha serve como retrato de uma das manifestações da arquitetura moderna à serviço da beleza plástica. O conjunto arquitetônico da Pampulha é tombado pelo IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

  • Atrações e Programas

    O Mercado Central é um dos locais de Belo Horizonte que rende um excelente passeio. Além de ser ponto de encontro tradicional dos belo-horizontinos, o mercado é o melhor local para se comprar as iguarias de Minas. Os turistas podem se esbaldar comprando requeijão, diversas variedades de queijo minas, goiabada, artesanato, artigos de palha, etc. São 380 lojas que oferecem tudo que a capital tem de melhor.

    Alguns aspectos chamam a atenção de quem passa pelo Mercado Central, como a praça do abacaxi. Nela, os vendedores permitem que a fruta seja saboreada na hora. Os bares do mercado também costumam servir aos domingos de manhã uma porção apetitosa de bife de fígado acebolado, prato típico e muito apreciado pelos mineiros.

    A visita até a Basílica Nossa Senhora de Lourdes surpreende pelo estilo gótico da edificação. Admirar a igreja, que foi inaugurada em 1923, enquanto se conhece um pouco mais da história dela é um passeio que rende boas prosas com os moradores da cidade.

    O Museu de Arte da Pampulha, que fica no complexo da Pampulha, também vale a pena ser conhecido. Chamado de "Palácio de Cristal", até 1946 ele abrigava um cassino. A partir de 1956, o museu foi inaugurado e hoje tem mais de 1,6 mil obras de artistas nacionais e internacionais.

    Um bom programa para o fim de semana é conferir um espetáculo encenado no Palácio da Artes. Ele é o principal centro de espetáculos de Minas e faz parte dele o Grande Teatro. Existem também mais três salas para apresentações e duas galerias de arte.

  • Vida Noturna

    Os bares são outros grandes atrativos de Belo Horizonte. Eles são responsáveis por reunir o povo mineiro ao longo de toda a semana, seja para beber ou para beliscar um petisco. Um conhecido ditado mineiro diz que “se não tem mar, vamos pro bar”.

    Uma das opções para se conhecer os barzinhos é planejar a viagem para a capital entre os meses de abril e maio. Nesse período é quando ocorre o “Comida di Buteco”, que é um festival gastronômico realizado anualmente. Nele, vários bares da cidade concorrem entre si para saber qual o melhor prato de boteco da cidade. Nessa época, os bares ficam lotados por apreciadores do festival e muita gente bonita frequenta Belo Horizonte para participar da festa.

    As opções para badalar à noite estão cercadas por todos os ritmos. Aqueles que se interessam por forró, podem conferir o ritmo em locais como Forró do Recanto. Para os pés-de-valsa de plantão, a indicação são os bailes que a academia Pé de Valsa oferece a cada quinze dias.

    Os bairros Savassi, Lourdes e Belvedere reúnem as melhores pistas da capital mineira. As boates que oferecem os melhores serviços e as músicas mais tocadas costumam abrir as suas portas nos fins de semana. Música eletrônica, por exemplo, também tem espaço em BH as boates A Obas e Na Sala Lounge & Disco.

    A programação teatral fica a cargo do Palácio das Artes. Além da programação permanente, espetáculos de dança, música erudita e sessões de cinema integram a programação.

  • Gastronomia

    A culinária mineira pode ser, para alguns, considerada como “pesada”. Mas pratos típicos da cidade, como feijão tropeiro com torresmo e couve refogada na hora fazem da gastronomia de Belo Horizonte um espetáculo à parte e liberado para ser apreciado com ou sem peso na consciência.

    O pão de queijo, em diversos tamanhos e recheios, é unanimidade tanto entre os belo-horizontinos quanto entre os turistas que chegam por lá. Os queijos, que vão do frescal, passando pelo curado até o do serro, agradam a todos que tiram uma lasca da iguaria mineira.

    Os bairros Savassi e Lourdes oferecem excelentes opções de restaurantes onde são servidos pratos típicos de Minas acompanhados, geralmente, da cachaça destilada em alambiques de fazendas da região.

    A culinária internacional também tem destaque em território mineiro. Bairros como Pampulha possuem excelentes restaurantes especializados em pratos internacionais. Lourdes, por exemplo, tem locais especializadas em comida mediterrânea e restaurantes que servem massas à altura das legítimas casas italianas.

  • Transportes

    Alugar um carro é a melhor opção para quem deseja conhecer a cidade. Os ônibus cobrem toda Belo Horizonte, mas não são muito eficientes e nem muito conservados. Depois do carro, eles vêm como segunda opção para os turistas.

    As maiores locadoras de automóveis estão presentes na cidade, o que facilita a contratação deste tipo de serviço. É necessário ter atenção na hora de dirigir na capital mineira, pois a fiscalização é intensa, principalmente por meio de radar eletrônico.

    O metrô não costuma ser eficiente para o turista, pois o percurso está longe dos pontos de maior visitação. Já os táxis podem ser de grande ajuda na saída da balada ou no trajeto aeroporto-hotel. Eles são brancos e atendem a toda a região metropolitana.

    Belo Horizonte não é uma cidade perigosa. O hipercentro, que é a região das imediações da rodoviária, é, de modo geral, considerado menos seguro pela população. Mas o governo instalou câmeras de segurança que reduziram a incidência de furtos no local.

    Mas, como em qualquer lugar, a lei do bom senso alerta para as medidas de segurança básicas, como evitar exibir pertences de grande valor e andar com atenção pela rua. O principal é não reagir em casos de furtos ou assaltos. Para evitar ocorrências desse tipo, evite expor seus objetos pessoais enquanto caminha pela rua e quando estiver dentro de ônibus ou metrôs. Em caso de problemas, procure alguma autoridade policial, como a Polícia Militar ou a Guarda Municipal.

Receba ofertas imperdíveis!

Assine a newsletter do Mundi e receba as melhores promoções de passagens aéreas e hotéis por email.

Fotos Belo Horizonte (18)

Foto Belo Horizonte - Master User

Vista aérea a noite, Enviado por Master User

Ver mais Fotos

Hotéis em Belo Horizonte

Ver todos os hotéis em Belo Horizonte




Publicidade

Publicidade

Avaliações e Dicas sobre Belo Horizonte

Faça uma avaliação

Avaliações e Dicas - Belo Horizonte

Publicidade