Praia Ferrugem

Praia Ferrugem

  • Avaliações: 4.8 de 5

É uma das praias mais movimentadas do litoral catarinense. Do seu lado direito, se formas piscinas naturais. Tem uma boa estrutura de bares e restaurantes.

Já esteve em Praia Ferrugem? Avaliar

Mostrando 1 - 5 de 5 resultados encontrados

Maravilha!!!!

Praia Ferrugem
5

Avaliação escrita em: 28 de Julho de 2010
Ponto Turístico visitado em: Fevereiro de 2010

A Ferrugem, como é conhecida, é uma praia mágica, cercada por morros, areias bancas e finas, águas revigorantes e de um azul impressionante... quem a conhece, quer voltar, pois quem a visita é por que identifica-se com a natureza, respeitando-a...possui diversos hotéis, pousadas, restaurantes,lojas e bares, a noite baladas para todos os gostos, sendo que a infra-estrutura é complementada pelas praias que a circundam, tais como: Garopaba e Praia do Rosa, formando um excelente complexo hoteleiro, com excelentes e diversificados restaurantes e lojas.
 

1 de 1 pessoas (100%) acharam esta avaliação útil.

Esta avaliação ajudou você? Sim | Não

Praia da Ferrugem: onde as palavras de ordem são ‘diversão’ e ‘baixo custo’!!

Praia Ferrugem
5

Avaliação escrita em: 13 de Setembro de 2010
Ponto Turístico visitado em: Dezembro de 2008

Fui para Ferrugem no réveillon de 2008/2009. Nesse ano (2008) havia acabado de terminar um namoro longo e por isso desejava fazer uma viagem bem diferente. Conversei com uma amiga, que logo nos sugeriu a praia da Ferrugem, que fica em Garopaba/SC (litoral sul de Santa Catarina). A nossa referência era um grupo de amigos em comum que haviam passado o réveillon no ano anterior. Iniciamos nossas pesquisas em busca de pousadas, passagens e tudo mais. A princípio a viagem seria feita em 3 pessoas, mas no fim fomos em 8 mulheres. O ponto de partida foi pesquisar um pouco mais sobre a praia. Essa é uma etapa muito importante, pois te ajuda a conhecer melhor sobre o local, como baladas, passeios, e entre tantas outras coisas. Percebemos que Ferrugem era o lugar ideal para o que buscávamos: muito agito e baixo custo. Dentre as várias opções de pousada, decidimos fechar com a que nos ofereceu o melhor preço e a infra-estrutura adequada. Nada de luxo, mas tudo no lugar. E posso afirmar com exatidão que essa foi a nossa melhor decisão. Logo conto um pouco melhor sobre a fantástica ‘Pousada do Boto’. Decidida a hospedagem, o passo seguinte foi escolher como iríamos. Para nós haviam apenas duas opções: ônibus ou avião. A hipótese de carro não nos entusiasmou, já que nenhuma de nós quis se arriscar no volante! Nós fomos de ônibus, mas vou explicar brevemente como é o esquema para quem vai de ônibus ou avião, sob a ótica de quem vive no interior de São Paulo. Para chegar à Ferrugem de ônibus é preciso ir até Imbituba. Não existe ônibus direto para Ferrugem. Entre as agências, verificamos que a Reunidas seria a mais indicada, principalmente pela questão de itinerário. A viagem dura em média 12 horas, por isso o ideal é optar por viajar de noite e em ônibus leito ou semi-leito. Acredito que para algumas pessoas essa possa ser uma viagem bastante cansativa, mas eu não tenho do que reclamar. Consegui dormir e ainda paramos diversas vezes para comer. A principal dica aqui é ficar atento. O ônibus faz uma parada na rodoviária de Florianópolis, e como nós não tínhamos muita noção de onde exatamente deveríamos descer, quase ficamos por lá mesmo. Por sorte havia um grupo que também ia pra Ferrugem e nos orientou. Ou ponto fundamental é onde exatamente termina a viagem de ônibus. Como disse, é preciso pegar um ônibus com destino a Imbituba, mas não é na rodoviária de Imbituba que se desce. Para chegar à Ferrugem, é preciso parar no ‘Trevo de Imbituba’. Pensar em um ‘trevo’ pode assustar um pouco, como nós também ficamos, mas não há motivos para isso. Nesse ‘Trevo’ existe uma espécie de lanchonete, na qual ficam vários taxistas justamente para levarem os turistas às praias vizinhas. E é nesse mesmo ‘Trevo’ que você deve ficar na ‘triste hora’ de voltar para casa. Assim, chegando no ‘Trevo de Imbituba’, você procura um taxista, que ele o levará à Ferrugem. Não dura nem 20 minutos. Na época em que viajamos a passagem saiu por volta de R$ 115,00 (R$ 230,00 ida e volta). Hoje verifiquei que está um pouco mais cara, mas não muito: R$ 123,80 ( R$ 247,60 ida e volta). Agora quem optou pelo avião. Nesse caso você terá que comprar passagem até Florianópolis. De lá, a opção que mais indico é alugar um carro para ir até Ferrugem, pois assim você já aproveita para ir conhecendo as praias vizinhas. Não sei exatamente o tempo ou distância, mas acredito que não seja superior a 80 km. Acredito ser de extrema importância fazer essa explicação do ‘pré-viagem’, já que Ferrugem ainda não é tão conhecida. Finalmente chego na parte mais interessante: a descrição do local. Ferrugem é daqueles lugares que fica gravado pra sempre na memória e que todos, principalmente os jovens, devem conhecer. A praia é linda, as pessoas são lindas e agito é o que não falta, desde bares, baladas, festa na rua...enfim, Ferrugem é um lugar para se divertir. A nossa opção de ficar na ‘Pousada do Boto’ foi a mais acertada. O lugar é muito aconchegante, com piscina, churrasqueira, cozinha comunitária, quartos com frigobar, ventilador, serviço de quarto, TV, telefone e internet. Além disso, o café da manhã é ótimo, a pousada fica a 100m da praia e em frente dos principais bares. E aqui aproveito para contar uma curiosidade. A pousada é tão animada, que diversas noites havia pessoas na frente dela querendo saber quanto era para entrar ‘na balada’ (risos). Para quem vai em uma turma grande, como nós fomos, lá eles possuem um quarto para até 8 pessoas, com dois banheiros. Isso é claro, se você não preferir mais espaço. E a melhor parte é o preço. Ficamos uma semana e não pagamos nem R$ 450,00 (preço por pessoa) de hospedagem. E olha, quem optar pela Pousada do Boto, não deixem de ter uma conversa com o Sadi, dono da pousada. Claro que essa é apenas uma sugestão. Em Ferrugem existem inúmeras pousadas. A decisão varia de acordo com o que cada pessoa busca. Existem pousadas mais próximas da praia, outras mais tranqüilas, um pouco mais cara, com mais requinte. O importante é saber que lá tudo é muito barato e bom. Ah! Também existe a opção de alugar uma casa. Isso é muito comum por lá, e a imobiliária mais conhecida de Ferrugem é a ‘Diego Imóveis’, que também possui casas na Praia do Rosa e na Guarda do Embaú. Em Ferrugem não existem os ‘quiosques’ na praia. Existe um único bar na praia em si: o famoso ‘Bar do Zado’. O lugar é bem movimentado e sempre tem alguma banda tocando. Os garçons são muito divertidos e atenciosos. E não deixe de provar os pastéis, que são muito bons, apesar de assados. O principal problema da praia ter apenas um bar é questão do banheiro, que fica simplesmente lotado. Para quem gosta de uma comida mais light, eu aconselho a procurar pelo Pablo. Ele fica em uma barraquinha improvisada, do lado norte da praia. Os seus lanches naturais e o açaí são excelentes. Como a praia não é muito extensa, eu aconselho uma boa caminhada. Em cada extremo dela existe um morro, no qual é possível subir e ver a paisagem. Em um desses extremos, inclusive, você vai ver uma espécie de ‘piscina natural’, a qual apelidamos de ‘lagoa azul’. Já dá até para imaginar o quão clara são as águas da praia da Ferrugem! O surf também é uma prática bastante comum no local, por conta das boas ondas que a praia oferece. Ferrugem é um lugar de praticamente ‘uma rua só’. Digo isso porque a maioria das coisas está concentrada em uma mesma rua. São os bares, os restaurantes, as barracas de crepe, as lojinhas, até mesmo algumas baladas pequenas. E isso é muito interessante, porque a rua fica muito movimentada e você sabe que lá poderá encontrar todas as pessoas. Talvez, a minha principal reclamação seja em relação ao atendimento. Acredito que a cidade não estava preparada para receber um número tão grande de turistas e por isso pecaram em algumas coisas. Nós, por exemplo, fomos a uma pizzaria e simplesmente demoramos horas para comer a pizza. Tivemos inclusive que arrumar a nossa própria mesa, colocar os pratos e talhares, e retirar a pizza diretamente com o pizzaoilo. Só ficamos mesmo, porque estávamos necessitando comer uma pizza, e porque nada abalava nosso humor. E essa não foi a única vez que tivemos que esperar por um pedido. Penso que nesse sentido, as coisas devam ter melhorado um pouco, mas pelas dúvidas, é bom ter um pouco de paciência. Vale à pena. Algo que não fiz, por simplesmente estar maravilhada com Ferrugem, foi conhecer os lugares vizinhos. Não posso dizer que me arrependo, mas se voltar farei isso. Sei de locais que também são lindos, como Guarda do Embaú, Cachoeira Encantada e Praia do Rosa. Aliás, outro conselho: para quem vai no réveillon, passem a virada na Praia do Rosa. Na noite da virada saem vans (transporte coletivo) a cada meia hora de Ferrugem. Só é preciso comprar o ‘ticket’ antecipadamente, porque é muito procurado. Sugiro a Praia do Rosa por causa do agito. O lugar fica cheio de gente e ainda tem uma balada, que é um pouco cara, mas parece ser boa. Não cheguei a ir na balada, mas vi que estava bem cheia. O importante é não se assustar com a caminhada que você terá que fazer do local onde a van para até a praia em si. As vans param em um posto de gasolina, que é o nosso ponto de encontro, e de lá até a praia é um pouco longe. Uns 15 a 20 minutos andando. Mas daí é só aproveitar o clima de fim de ano e cantar todas as músicas que conhece sobre o tema (risos). E não se esqueçam de levar dinheiro, porque lá existem além dos ambulantes, diversas barraquinhas que vendem comida e bebida. Agora sobre as baladas. Tirando as baladinhas da rua principal da Ferrugem, nas quais tocam desde rock a reggae, tive a oportunidade de conhecer apenas uma: a Bali Hai. O lugar é muito animado, bem grande e com muita gente bonita. Na verdade ela fica na cidade de Garopaba, mas também existem diversas vans e ônibus que te levam até lá, com o mesmo esquema de horários. Outra balada, que me parece ter quase as mesma características da Bali Hai, é a Mar del Rosa, que como o nome sugere, fica no caminho da Praia do Rosa. Não tenho muito que dizer sobre ela, pois não conheci, mas é super indicada. A respeito da gastronomia. Existe de tudo. Eu passei todos os dias comendo na praia: pastéis, queijo coalho, açaí, lanche natural, milho. Mas uma outra parte das minhas amigas preferia almoçar, e falaram muito bem de um restaurante chamado ‘Dunas’. A variedade de comida é grande e gostosa. É por quilo e bem limpo. Existe também um local onde você retira a carne na hora. A noite os restaurantes costumam ficar mais cheios e daí complica um pouco mais na questão do atendimento. Por isso acho que os ‘por quilos’ acabam sendo uma boa alternativa. Para quem também não agüenta muito tempo sem comer, como eu, sempre vai haver os crepes, pastéis ou cachorros quentes. Outra curiosidade de Ferrugem é em relação à quantidade de argentinos e uruguaios que visitam a praia. Mais perto da virada eles simplesmente dominam o lugar. Em um determinado momento, por exemplo, eu só escutava pessoas falando em espanhol. Até mesmo os brasileiros pareciam estar com o sotaque. O importante é saber que eles são bastante divertidos. Agora chego no momento mais difícil: a hora de ir embora! Como não existe tanto o que se falar sobre isso, o que eu recomendo é um belo planejamento, afinal, assim como você, quase todo mundo está indo embora. Resultado: trânsito! Quem tem hora marcada, por causa de passagens de ônibus ou avião, eu recomendo que a saída seja feita com no mínimo duas horas de antecedência. Nós não sabíamos disso e ficamos desesperadas com a quantidade de carros parados e o ponteiro do relógio correndo. Por sorte o ônibus também se atrasou. De qualquer maneira, não é bom arriscar. Por mais que você tenha que esperar um pouco mais no aeroporto ou rodoviária, é muito melhor do que perder a viagem. E como disse no começo, para quem vai de ônibus, a saída também é no mesmo ‘Trevo de Imbituba’. Posso dizer que, de modo geral, a viagem completa, incluindo tudo mesmo (passagem, alimentação, balada, comprinhas, hospedagem), ficou em R$ 900,00. O preço é excelente ao se pensar em uma viagem de Réveillon. Claro que eu economizei em algumas coisas, como na comida, pois como disse, eu não ia comer em restaurante. Mas, por exemplo, das meninas que foram, o maior gasto foi de R$ 1200,00. Depois, é voltar pra casa cheia de saudade e histórias para contar. E sim, na Ferrugem acontece o melhor Réveillon do mundo!!!
 

16 de 16 pessoas (100%) acharam esta avaliação útil.

Esta avaliação ajudou você? Sim | Não

lugar paradisíaco

Praia Ferrugem
5

Avaliação escrita em: 23 de Novembro de 2010
Ponto Turístico visitado em: Janeiro de 2005

a praia tem apenas uma rua que segue até o mar, cheia de pousadas e barzinhos agradabilissimos e o mar é verde as pedras tem um aspecto de ferrugem,daí o nome.aguas formam uma piscina natural entre as pedras é inesquecivel!!!!vale a pena conferir.As pessoas que passam por aquela praia são as mais lindas homens e mulheres esculturais...e jovens e cheirando a protetor solar...
 

Esta avaliação ajudou você? Sim | Não

explendorosaaaa

Praia Ferrugem
5

Avaliação escrita em: 7 de Janeiro de 2011
Ponto Turístico visitado em: Janeiro de 2011

" Momentos unicos em uma praia explendorosa.. lugar tranquilo pra se visitar e ficar em familia..praia da ferrugem..o aconchego
 

Esta avaliação ajudou você? Sim | Não

Sempre Ferrugem

Praia Ferrugem
4

Avaliação escrita em: 4 de Outubro de 2011
Ponto Turístico visitado em: Dezembro de 2010

Este será o etrceiro ano seguido que eu e minha galera vamos para ferrugem passar o reveillon. Simplesmente um lugar perfeito, sem luxo nenhum, mas muita bagunça. Mesmo para casais (meu caso), sempre tem uma agitação, um lugar para conhecer. A pousada que sempre ficamos é a do Boto (o Sadi sempre da um desconto para quando tem bastante gente), ela é excelente, espaçosa, perto da rua principal e da praia. O quarto para casal sai em media R$ 1200,00 e o quarto para mais pessoas, sai por volta de R$ 450,00 os sete dias de bagunça. Na praia o melhor lugar eu diria que é o bar do zado. de dia tem sempre muita gente, estilo aqueles quiosques de Fortaleza e a noite tem a galera ainda curtindo um som. Ver o por do sol de lá é maravilhoso. Para baladas, fui no Bali Hai, Mar del Rosa, Festa da Mormai, mas a melhor mesmo é a Bali Hai, sempre muito animada, toca de tudo, é grande, tem um estacionamento enorme e é também a mais perto de Ferrugem. Para a virada do Ano já passamos na Virada Magica (Rosa) e no Mar del Rosa. como somos todos de eletronico preferimos a virada porque lembra muito uma rave. mas este ano acho que vamos para o Bali Hai, alem de ser mais barata é mais animada e lembra um pouco as baladas de cancun (kokobongo). Para conhecer vale muito a pena ir para a guarda do embau, mas deve-se estar preparado, porque é muito cheio, não tem aluguel de cadeiras e guarda sol. Lembra as praias compridas do sul em São Paulo, mas a travessia de barquinho por um lago ate chegar na praia é lindo. Ate da para ir nadando, mas como sou medrosa, preferi pagar os dois reais e ir no conforto e visual de um barquinho de pescador. Tranporte: Fomos de avião e pegamos um transfer ate Ferrugem. aconselho a Original canasvieiras. o carro para ate 4pessoas sai por 230,00. a viagem dura em media 1h. Na volta é que é o maior dos problemas. No primeiro ano perdemos o avião porque demoramos mais de 6h nesta estradinha, conclusão voltamos para casa de onibus. o ideal é sair cedo, bem antes do compromisso, para não ter dor de cabeça. outra opção que é o que fizemos no ano seguinte é ir para Floripa um dia antes e ficar num motelzinho mesmo e curtir a praia em jurere e mole!!! Boa viagemmmmmmm
 

1 de 1 pessoas (100%) acharam esta avaliação útil.

Esta avaliação ajudou você? Sim | Não

1
 
0 de 0

 



Publicidade