Portão de Brandemburgo

Portão de Brandemburgo

  • Avaliações: -0.05 de 0

- Visão Geral

O Portão de Brandemburgo é um dos monumentos mais importantes da Alemanha e mais simbólicos da história do século XX. Além de ser uma obra prima da arquitetura alemã, ele é símbolo da separação das duas Alemanhas e, após a queda do muro de Berlim, assumiu a posição de marco oficial da reunificação alemã.

No século XVII, a cidade de Berlim já procurava se fechar como maneira de se proteger. Mas, somente na segunda metade do século XVIII, no ano de 1788, que o rei Frederico Guilherme II, da Prússia, ordenou a reestrutução da cidade e a construção completa do portal. Naquela época, as vias expressas por debaixo do portal davam acesso direto do palácio aos jardins reais. Sendo que as pessoas que não eram da nobreza não podiam utilizar as passagens internas, restritos às duas pistas externas abaixo do portal.

Um de seus principais ornamentos, a quadriga (carro puxado por quatro cavalos), foi alvo durante as duas invasões que Berlim sofreu. A primeira na época de Napoleão, que retirou o objeto e levou para Paris. E, durante a Segunda Guerra, pelos nazistas, que viraram a estátua para o lado oriental da cidade.

- Localização

Fica a oeste da cidade de Berlim, capital da Alemanha.

- O que fazer

O passeio pela avenida e pelos arredores do Portão é um retorno no tempo. Com o fim da 2ª Guerra Mundial, o Portão já era um símbolo reconhecido em toda a cidade e um marco de Berlim. Afinal, era ali a divisão entre as duas Alemanhas. Em 1956, o governo de Berlim Oriental decidiu restaurar o pórtico e a estátua, a Quadriga. No entanto, o molde da estátua pertencia ao governo de Berlim Ocidental, que doou uma nova versão da estátua, sem a cruz de ferro.

Quando a fronteira entre Berlim Oriental e Ocidental foi fechada em 1961, o Portão de Brandemburgo foi o primeiro ponto a ser trancado. Daí por diante, tornou-se parte do Muro de Berlim. Quando o Muro caiu e a Alemanha foi reunificada, a praça em frente ao portão foi o cenário de comemorações, o que, infelizmente, resultou em danos à Quadriga. Foram feitos reparos à estátua, e em 1992 ela foi colocada novamente em seu lugar, com a Cruz de Ferro de volta no bastão da Vitória.


- Quando visitar

Durante o ano todo, com exceção do inverno (entre novembro e março), para aqueles que não suportam o frio.

 
0 de 0

 



Publicidade