O Parque Lage situa-se no Jardim Botânico e é um patrimônio histórico e cultural da cidade. Projetado inicialmente pelo paisagista inglês John Tyndale em 1840, foi parcialmente reformulado, nas décadas de 30 e 40, quando seu proprietário, o industrial Henrique Lage, mandou edificar nova residência. Todo o local, principalmente a área central, está em volta de uma floresta natural, com um intrincado de árvores e arbustos de diversas espécies. Ligando os dois portões de entrada, palmeiras imperiais dispõem-se em duas filas contínuas.
No Parque, você poderá visitar o aquário construído em argamassa imitando rochas e troncos de árvores, as pontes, a gruta, além de quiosques próximos ao lago que são representações construídas da natureza. Os chafarizes e bancos proporcionam ao visitante um agradável momento junto à natureza e, caso você vá com crianças, o Parque dispõe de equipamentos infantis. Além disso, aos fãs de caminhas ecológicas, há uma trilha aberta que atinge o Corcovado.
O Parque Lage foi recuperado e reinaugurado em 24/02/2002, pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, através da Fundação Parques e Jardins. Numa homenagem a Tom Jobim e ao seu filho João Francisco, foi instalada uma escultura em bronze de um pintor retratando em sua tela o momento em que Tom e seu filho plantaram uma palmeira no parque.

Já esteve em Parque Lage? Avaliar

Mostrando 1 - 1 de 1 resultados encontrados

Uma gaiola de ouro

Parque Lage
5

Avaliação escrita em: 25 de Março de 2011
Ponto Turístico visitado em: Abril de 2010

Fiz de conta que meu carro era um "tilbury" e os cavalos que o puxavam eram lindos e tordilhos, que chegavam no desembarque lateral do palacete. Era como se eu estivesse adentrando no sonho da linda dama, cantora de ópera,que tinha seu próprio teatro-ali mesmo, e que subia à parte alta para poder exibir seus dotes artísticos. Eu era a expectadora e quase podia me sentir como convidada de honra,que embora assistindo o marido ciumento "engaiolando" sua mulher,Graziela Bezanzoni,somente podia sentir que ali se desenvolvera inicialmente uma linda história de amor. Lembrei de Glauber Rocha, em Terra em Transe, e o cenário aproveitado... Andei pelo palacete, buscando em cada detalhe de paredes, portas, janelas,algum vestígio de tantas quantas emoções ocorreram ali. Esse aproveitamento em benefício da cultura é fantástico, faz do lugar uma obra prima, não apenas arquitetonicamente falando, mas como um todo , onde verdadeiramente se respira arte. Quero voltar e sentir mais ...
 

0 de 1 pessoas (0%) acharam esta avaliação útil.

Esta avaliação ajudou você? Sim | Não

1
 
0 de 0

 



Publicidade