Serra da Capivara, PI

Avaliações e Dicas - Serra da Capivara

Nota Média

Nota Média 5.0

Excelente "Superou as expectativas!"

Faça uma avaliação

Total de Avaliações: 1

qualidade das avaliações porcentagem das avaliações quantidade de avaliações
Excelente 100.0% 1
Bom 0.0% 0
Razoável 0.0% 0
Ruim 0.0% 0
Péssimo 0.0% 0

Avaliações

  • 2 avaliações.
    17 fotos em 2 lugares.
    jadernsantana

    jadernsantana escreveu:

    O local com a maior concentração de figuras rupestres

    • Destino visitado em Agosto de 2011
    • Avaliação feita em 9 de Novembro de 2011

    O maior atrativo do Parque Nacional da Serra da Capivara é, sem dúvida alguma, a quantidade assustadora de pinturas rupestres em suas paredes rochosas. E elas são indiscutivelmente belas. Mas o que mais me impressionou nesse parque foi a sua imensidão. Em outras palavras, tudo lá é grandioso, épico, silencioso. Não é exagero dizer que você sai daquele lugar conhecendo mais sobre a história dos seus antepassados e mais ainda sobre você mesmo.

    O tempo mínimo que eu recomendo para conhecer o lugar? Três dias. Se for viajar pra passar menos que isso, é melhor esperar por outra oportunidade. O ponto de acesso para o Parque é o município de São Raimundo Nonato, no interior do Piauí. É uma cidadezinha pequena, sem muitos atrativos mas que ainda guarda o charme e a tranquilidade inabalável de uma cidade interiorana. Durante a noite, as praças ficam cheias de gente jogando conversa fora e em animados jogos de baralho e dominó. Em uma das ruas, estão distribuídos bares e casas de show que animam a população local, ainda não tão habituada com a presença de turistas.

    O turismo do Parque ainda é incipiente, embora tenha crescido de modo considerável nos últimos anos. Para entrar e permanecer no Parque, é obrigatório o acompanhamento de algum guia turístico credenciado. E eles são muitos. Eu recomendo o guia Giordano. Além de ser o presidente da Associação de Guias, ele é um cara extremamente simpático, atencioso, atento aos limites do corpo dos turistas (sim, algumas trilhas exigem muito de você) e cheio de histórias pra contar. Durante a semana em que visitei o parque, viajando sozinho, o Giordano me acompanhou todos os dias, e posso dizer que nos tornamos bons amigos.

    O fundamental para levar em qualquer trilha: mochila, boné, óculos escuros, protetor solar, repelente, protetor labial, tênis confortável e quantas garrafas d'água você puder carregar. Evite usar perfumes, pois eles atraem abelhas. Câmera fotográfica é fundamental, pois as paisagens que você vai encontrar ali são únicas.

    São vários os passeios e trilhas disponíveis. Uma infinidade, na verdade. Os guias cobram, geralmente, o valor de R$ 70 pela diária. Pode parecer um pouco caro, mas vale a pena. Ele busca você no hotel antes das 7h da manhã e só estamos de volta depois das 18h.

    Existem trilhas para os mais variados gostos, desde passeios simples que podem ser realizados por crianças e pessoas idosas (contando inclusive com acesso para cadeirantes), até trilhas mais pesadas, com mais de 5 horas de duração. Para os mais afoitos, escalar em um paredão gigantesco, sem nenhum cabo de segurança, é uma experiência eletrizante e inesquecível. Antes de encarar o paredão (na Trilha do Caldeirão dos Rodrigues), escute com atenção as recomendações do guia e esteja certo de que não tem medo de altura. Quando chegar no topo, a visa compensa qualquer esforço e faz seu coração bater mais rápido.

    As pinturas, espalhadas por toda a imensidão do parque, são tão nítidas que é difícil acreditar que sejam tão antigas. Elas retratam atividades diversas, incluindo momentos de caça e relações sexuais. A sensação que temos quando observamos as primeiras pinturas e ouvimos as histórias daqueles homens é impactante.

    Os locais imperdíveis: caldeirão do rodrigues (trilha mais pesada), pedra furada, toca dos veadinhos azuis, sítio do meio, baixão das mulheres e toca do inferno.

    A melhor surpresa: o baixão das andorinhas. Todas as tarde, no exato momento do pôr-do-sol, o baixão das andorinhas se transforma num espetáculo. Em meio aos quilômetros de cânions e cavernas rochosas, você fica no lugar mais elevado, assistindo ao sol desaparecer e ao show das andorinhas, que sobem aos céus e descem numa velocidade impressionante, buscando fendas entre as rochas para passarem as noites junto dos filhotes. É incrível!

    Uma recomendação final: evite os meses de chuva (out - jul), quando alguns passeios podem ser prejudicados. Se for no período seco, prepare-se para o calor! Boa viagem!

    Nota Média 5

    Excelente "Superou as expectativas!"

    Esta avaliação foi útil para 12 pessoas, e para você? Sim

    Fotos

1

Pesquise preços

Receba ofertas imperdíveis

Receba grátis as melhores promoções de passagens aéreas e hotéis por e-mail.

Publicidade


Publicidade